Boulos apaga seu post sobre crescimento da renda dos mais pobres sob Bolsonaro

Boulos citou em seu post os anos entre 2017 e 2022, período em que ocorreu as gestões dos ex-presidentes Michel Temer (MDB) e Jair Bolsonaro (PL)

O post que foi deletado por Boulos mencionava uma nota técnica divulgada pela Fundação Getulio Vargas (FGV) (Foto: Reprodução/Redes 

Depois de apagar um post feito nas redes sociais sobre crescimento na renda da população, o pré-candidato à prefeitura de São Paulo, Guilherme Boulos (PSOL) vem sofrendo críticas dos parlamentares de oposição. Em seu post, Boulos citou os anos entre 2017 e 2022, período em que ocorreu as gestões dos ex-presidentes Michel Temer (MDB) e Jair Bolsonaro (PL). 

O post que foi deletado por Boulos mencionava uma nota técnica divulgada pela Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta quarta-feira (17). De acordo com o levantamento, a concentração de renda no Brasil atingiu um recorde histórico. A pesquisa do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV) com base no imposto de renda mostra que os mais ricos estão concentrando cada vez mais renda no Brasil.  

A deputada Carla Zambelli reagiu respondendo o tweet, “Apagou por qual motivo, Boulos? Porque sem perceber admitiu que a renda do mais pobre subiu 33% durante os 4 anos do governo do Presidente Bolsonaro?” escreveu.  

Já o vereador de São Paulo, Rubinho Nunes (União) afirmou que “até socialista que não entende nada de economia viu que isso era um elogio”, e concluiu dizendo: “Boulos acusa Bolsonaro de ter enriquecido o povo brasileiro! Até socialista que não entende nada de economia viu que isso era um elogio. Daí ele apagou o tweet como se nada tivesse acontecido” 

 

Apagou, mas o print

Diário do Poder 

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem