Bolsonaro comenta sobre a delação premiada que apontou o mandante do assassinato de Marielle


Visivelmente aliviado, nesta terça-feira (23), o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) usou as redes sociais para comentar a delação premiada do policial militar reformado Ronnie Lessa, que apontou o conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ), Domingos Brazão, como um dos mandantes do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ).

Conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ), Domingos Brazão, já fez campanha aberta para a ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Em 2014, ele declarou apoio à reeleição da petista. As informações são do colunista Paulo Cappelli.

Eduardo Cunha e Brazao apoiaram Dilma (PT)

Na época, Brazão pediu votos para Dilma em uma carreata ao lado do deputado federal Eduardo Cunha (MDB).

“Para mim, é um alívio. Bota um ponto final nessa história. Em 2019, tentaram me vincular ao caso e me apontar como mandante do crime. Teve o tal do porteiro tentando vincular a mim [Lessa e Bolsonaro moravam no mesmo condomínio, na Barra da Tijuca, no Rio]. Eu estava na Arábia na ocasião e fui massacrado”, desabafou

Donnysilva 

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem