Cidadania dissolve Comissão Executiva e deputada encaminha saída

Partido Cidadania vive crise no DF e chegou a dissolver a Comissão Executiva local. Paula Belmonte já encaminha saída

 atualizado 

Compartilhar notícia

Matheus Veloso/Metrópoles
paula belmonte metropoles

Metropóles 

Uma resolução do partido Cidadania dissolve a Comissão Executiva no Distrito Federal. Em crise interna em Brasília, a legenda fez a intervenção alegando que a presidente do Cidadania-DF, Paula Belmonte, “afrontou a decisão do Diretório Nacional, chegando a defender o movimento golpista de 8 de janeiro”.

Assinado nesta segunda-feira (18/12) e tornado público nesta terça, o documento constitui uma Comissão Provisória que vai atuar por seis meses, tendo Marcelo Aguiar dos Santos como presidente. A resolução cita que “Paula Belmonte chegou a participar de ato na Esplanada dos Ministérios em defesa do impeachment do presidente Lula e do ministro Alexandre de Moraes”, enquanto “a instância Regional do Cidadania no Distrito Federal quedou-se inerte, como se estivesse em concordância com tais posturas”.

A deputada distrital, por outro lado, vê a ação como um “tapetão”, que afrontaria a decisão democrática marcada para 26 de janeiro, quando haveria eleição da nova Executiva do Cidadania-DF. Paula também encaminha a saída do partido, que deve ficar para 2024.

“Ontem tivemos reunião da Executiva e convocamos para dia 26 de janeiro fazer eleição de nova Executiva. Mas as pessoas que estão brigando não têm voto no Diretório e recorreram à forma mais absurda que tem, que é dissolver o Executivo, não respeitando o Diretório, porque eles têm medo de perder”, afirma Paula Belmonte.

Sobre a saída do Cidadania, a distrital tem conversado com outras legenda e vê a saída como natural, pelas incompatibilidades. “Não sou bolsonarista, nem sou do Lula, sou independente. Mas temos que tomar a decisão com muita calma, muita responsabilidade. Tenho recebido muitos convites.”.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem