Fabrício Queiroz alfineta Janones por escândalo de rachadinha: ‘rachadona’

Em áudio, Janones comunica 'rachadinha' para pagar suas despesas

ACESSIBILIDADE:
Deputado federal André Janones (à esquerda), e o ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiroz (à direita). (Foto: Reprodução/Redes Sociais).

Investigado por envolvimento em um suposto esquema de “rachadinha” no gabinete do senador Flávio Bolsonaro (PL), na época deputado estadual na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, o ex-assessor do parlamentar, Fabrício Queiroz, alfinetou o deputado federal André Janones (Avante-MG).

O suposto esquema envolvendo a família Bolsonaro é muito criticado por Janones. Por isso, Queiroz apontou: “Acuse-os do que você faz, chame-os do que você é”, se referindo a um áudio revelado nesta segunda-feira (27) pelo Metrópoles, onde Janones defendeu o pagamento de despesas da campanha com rachadinha.

Veja a declaração do ex-assessor de Flávio Bolsonaro abaixo:

Áudio de Janones: 

Na conversa, gravada em fevereiro de 2019, o deputado disse que iria conversar com algumas pessoas para “ajudar a pagar as contas” da campanha dele à prefeitura de Ituiutaba, em 2016.

“Tem algumas pessoas aqui, que eu ainda vou conversar em particular depois e vão receber um pouco de salário a mais. E elas vão me ajudar a pagar as contas do que ficou da minha campanha de prefeito”, declarou Janones.

O deputado ainda afirma “não considerar corrupção” esse esquema. Ouça abaixo o áudio completo:

Após a repercussão do caso, Janones afirmou “nunca ter recebido um único real de assessor”, e disse não ser “verdade” o escândalo. Veja abaixo a posição do parlament

“Primeiro de tudo, eu quero dizer a vocês que eu estou quebrando a minha regra de não responder às fake news, como ensino no meu livro ‘Janonismo Cultural’ a não responder, por uma razão clara: RESPEITO a vocês. Hoje saiu uma matéria, que está sendo espalhada pela extrema-direita, que me acusa de rachadinha, coisa que eu nunca fiz. Pra isso eles usaram uma gravação clandestina e criminosa, um áudio retirado de contexto e para tentar me imputar um crime que eu jamais cometi. Aproveito para solicitar que o conteúdo criminosamente gravado seja disponibilizado na integra e não edições manipuladas, postada quase simultaneamente por todas as lideranças de extrema-direita. É a segunda vez que trazem esse assunto para tentar me ligar a crimes. Em 2022 já fizeram isso durante a campanha, também com áudios fora de contexto. Essas denuncias vazias nunca se tornaram uma ação penal ou qualquer processo, por não haver materialiade. Não são verdade, e sim escândalos fabricados. No mais, repito eu NUNCA recebi um único real de assessor, não comprei mansões, nem enriqueci e isso por uma simples razão, EU NUNCA fiz rachadinha”.

Diário do Poder 

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem