PMDF prende homem que matou cobrador com tiro no ouvido durante roubo


Policiais militares receberam a informação de que um dos envolvidos no crime estaria escondido na casa da irmã 

Reprodução
Assassino de cobrador preso pela PMDF

Aílson Cauã de Oliveira Lima, de 20 anos, suspeito de efetuar o disparo que vitimou o cobrador de ônibus Ariel Santos Marques na noite de segunda-feira (2/10), foi preso pela Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), no Recanto das Emas, às 2h desta quarta-feira (4/10). Um menor, de 17 anos, já havia sido apreendido.

Policiais militares receberam a informação de que Aílson Cauã estaria escondido na casa de sua irmã, no conjunto 12 do Recanto das Emas.

A equipe foi ao local e conseguiu deter o homem. Ele foi preso e apresentado na 27ª Delegacia de Polícia (Recanto das Emas), onde confessou o crime e disse que se arrependeu. A arma, no entanto, não foi encontrada. Um terceiro envolvido, Kauã Souza, 19, ainda não foi localizado.

1

De acordo com o delegado-chefe da 27ª DP, Fernando Fernandes, os homens acumulam passagens pela polícia, pelos crimes de roubo, furto, receptação, uso de drogas e outros. As ocorrências foram registradas em Recanto das Emas, Samambaia e Entorno do DF.

Vídeo:

Segundo Fernandes, pelo crime de latrocínio, o menor de idade está sujeito a uma medida socioeducativa de internação de até 3 anos em unidade de internação provisória. Já os adultos podem pegar pena que varia de 20 a 30 anos de reclusão em regime fechado.

Sobre a possível motivação do assassinato, o delegado da PCDF destaca: “A gente trabalha primeiro com a possibilidade de latrocínio, que é o roubo seguido de morte. Uma ação covarde, inclusive, porque o cobrador não esboça nenhuma reação e, de repente, no fim, um deles grita para o outro: ‘Atira logo, atira nele’. Com isso, o homem vai e dá um tiro”.

“Não é normal, nesse tipo de crime, a pessoa que não apresenta nenhum tipo de resistência, que não reage à ação dos criminosos, acabar sendo baleada na cabeça de forma proposital e fatal. Uma banalidade muito grande, futilidade, covardia. Era um cidadão, um cobrador, um trabalhador desarmado, que entrega o que tem, coloca as mãos para cima, recua e, mesmo assim, é alvejado na cabeça”, indicou o delegado-chefe da 27ª.

Crime

Em depoimento à polícia, o motorista do ônibus da Viação Pioneira contou que ele e Ariel estavam fazendo a Linha 253, da Santa Maria ao Setor O, e que, na parada do Fort Atacadista, os três assassinos entraram no veículo, um deles armado.

Em seguida, um dos assaltantes apontou a arma para ele, pedindo que entregasse todo o dinheiro do caixa. Ariel teria dado a quantia aos bandidos, bem como o seu celular.

Mesmo sem reagir ao assalto, um dos criminosos disse: “Dá um tiro nele, dá um tiro nele”. Aílson, então, efetuou o disparo no ouvido do cobrador. Ariel morreu na hora.

No momento do crime, havia cerca de 10 pessoas dentro do ônibus. Uma das passageiras também foi abordada pelo trio e teve o celular roubado.

Após matarem o cobrador, os criminosos foram em direção ao motorista e ordenaram que ele parasse o ônibus. “Depois que dispararam, ainda apontaram arma para mim e ficaram gritando: ‘Para, para e abre a porta’. Eu abri a porta dianteira, porque eles estavam na parte da frente, não tinham passado a roleta”, relatou em depoimento.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem