Médicos paulistas são executados em quiosque no Rio de Janeiro

Os médicos viajaram ao Rio de Janeiro para participar de um congresso de ortopedia. Eles estavam em um quiosque na Barra da Tijuca

Imagem coloridas mostram Médicos executados em quiosque no Rio de Janeiro: Diego Ralf Bomfim, Marcos de Andrade Corsato, e Perseu Ribeiro Almeida - Metrópoles

Três médicos de São Paulo foram assassinados a tiros em um quiosque na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, durante a madrugada desta quinta-feira (5/10). Outro profissional também ficou ferido e se encontra em estado grave. A Delegacia de Homicídios da Capital (DHC), da Polícia Civil do Rio (PCERJ), instaurou um inquérito para investigar o homicídio.

Os criminosos atiraram, ao menos, 20 vezes contra os profissionais, em um período de 20 segundos. Um dos homens ainda voltou no estabelecimento, depois que uma das vítimas tentou se abrigar.

O caso ocorreu na Avenida Lúcio Costa, na Barra da Tijuca, próximo a um quiosque na altura do Posto 4, quando um grupo saiu de um carro e atirou contra os médicos. Os profissionais de medicina mortos são especializados em ortopedia e foram identificados como Perseu Ribeiro de Almeida, 33; Marcos Andrade Corsato, 63; e Diego Ralf Bonfim, 35.

Corsato era diretor do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital de Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP). Há, ainda, uma quarta pessoa alvejada: Daniel Sonnewend Proença, 33, que está internado em estado grave no Hospital Municipal Lourenço Jorge.

Veja o momento em que os atiradores executam os profissionais:

Médicos participavam de congresso

As vítimas estariam no Rio de Janeiro para participar do 6º Congresso Internacional de Cirurgia Minimamente Invasiva de Pés e Tornozelos (Mifas, na sigla em inglês), que começa na tarde desta quinta-feira e vai até sábado (7/10).

1

As testemunhas confirmaram que os assassinos estavam fortemente armados e que, antes de atirarem nas vítimas, eles haviam desembarcado de um veículo.

Metrópoles tenta contato com a Sociedade Brasileira de Ortopedia e com o Hospital de Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), mas ainda não teve retorno.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem