Comandante diz que vai retirar das ruas PMs com problemas psicológicos

Decisão foi tomada após a morte do soldado Yago Monteiro Fidelis, no domingo (14/1), assassinado por um colega com problemas psicológicos

 atualizado 

Compartilhar notícia

BRENO ESAKI/METRÓPOLES @BrenoEsakiFoto
Comandante-geral da PMDF coronel Ana Paula Barros Habka 2

Após o sepultamento do soldado Yago Monteiro Fidelis, morto por um colega de patrulha, com problemas psicológicos, a comandante-geral da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), coronel Ana Paula Barros Habka, afirmou que a corporação vai retirar das ruas todos os policiais que precisam de ajuda psicológica. A promessa é que os militares recebam tratamento médico. Além disso, a corporação fechou um novo convênio para cuidar da saúde da tropa.

“Nesse primeiro momento, a gente pensa no que está passando com os colegas que estavam trabalhando com ele no dia a dia, no 27º Batalhão. Então, de forma imediata, a gente está em contato com o psicólogo que vai dar assistência e que vai fazer um mapeamento para entender quem agora, imediatamente, precisa de uma assistência pontual”, afirmou a comandante-geral. Se for identificado risco, os militares não vão mais trabalhar nas ruas.

“Serão submetidas a uma avaliação médica e psicológica. E se precisar, a gente coloca na área administrativa ou terá o seu tempo de tratamento”, explicou a coronel. Após o mapeamento no 27ª Batalhão, segundo a comandante-geral, a operação seguirá em marcha para toda a tropa. “O pós-traumático é para todos aqueles ao redor. A gente sabe que toda a corporação sente isso”, reforçou

Metropóles 

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem