CPMI critica nova interferência do STF: ‘desequilibra poderes’

 Presidente da CPMI reagiu à decisão de Nunes Marques de permitir que ex-subsecretária do DF não fosse depor nesta terça

Ministro Kássio Nunes Marques. Foto: Fellipe Sampaio/SCO/STF
Ministro do STF, Kássio Nunes Marques. Foto: Fellipe Sampaio/SCO/STF

A cúpula da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que investiga ataques de 8 de Janeiro condenou a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Nunes Marques, de permitir que a ex-subsecretária de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal, Marilia Ferreira de Alencar, faltasse ao depoimento marcado para esta terça-feira (12).

Para o presidente da CPMI, deputado Arthur Maia (União-BA), a decisão de Nunes Marques “evidencia a falta de equilíbrio entre os Poderes” e confronta decisão conjunta e unânime dos membros do colegiado do Congresso Nacional. Enquanto a relatora da comissão, senadora Eliziane Gama (PSD-MA), avaliou que a ação do ministro do STF “obstrui os trabalhos” da relatoria e da CPMI, ao informar que recorreu contra a decisão.

“O Supremo deveria ter, pelo menos, uma posição idêntica, hegemônica a todos aqueles que solicitaram não vir à CPMI”, avaliou Maia, ao criticar a decisão de Nunes em desacordo com “a melhor Justiça”.

Diário do Poder 

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem